XI’AN-FU: O CRISTIANISMO NA CHINA (635-845)

No capítulo 8, é apresentado um excerto do conteúdo esculpido
numa lápide, erigida em 781 – a Xian-Fu, ou Si-ngan-fú, descoberta
no noroeste da China, em 1625, e traduzida pelos padres jesuítas
portugueses Álvaro Semedo e Manuel Dias Júnior. Nela foram
registados factos sobre a Religião Ilustre, transmitidos pelo monge
missionário sírio Alopen (ou Olopun), que ali chegou no ano de 635.
O missionário, conhecido pelos chineses como A-lo-pen, levou
consigo os livros sagrados e quando chegou à fronteira de Chang-an,
foi recebido pelo primeiro-ministro chinês, Fang Huang Ling, que o
acompanhou ao Imperador Tai-Tsong. Ficando deveras impressionado
com a retidão e verdade da sua religião, promoveu Alopen a
Grande Senhor Espiritual, Protetor do Império, e ordenou a tradução
dos livros e a sua distribuição por todo o território.

ARTIGO PRINCIPAL: NO ANO DO NOSSO SENHOR, por Sinclair B. Ferguson

Infelizmente, no século seguinte (845), o Imperador Wu Zong, da
dinastia Tang, decretou o fim das religiões estrangeiras, eliminando
por completo o testemunho de Jesus Cristo e a adoração ao seu
nome.
Na Diocese de Macau é possível encontrar uma referência a esta
efeméride.