THE PURSUIT OF EXCELLENCE (EM BUSCA DA EXCELÊNCIA) – TED W. ENGSTROM

THE PURSUIT OF EXCELLENCE (EM BUSCA DA EXCELÊNCIA) – TED W. ENGSTROM

POR PAULO SÉRGIO GOMES

 

BUSCANDO A GRANDEZA DE DENTRO PARA FORA

Ao longo de muitos anos, juntamente com o seu
amigo Ed Dayton, Ted Engstrom, antigo diretor
da Youth for Christ e da World Vision, falecido
em 2006, percorreu o mundo orientando seminários de
dois dias sobre gestão de tempo. No final do primeiro dia
do evento, especialmente dirigido a líderes e profissionais,
o autor terminava com uma palestra intitulada The Pursuit
of Excellence (“Em Busca da Excelência”), tema posteriormente
desenvolvido e que deu origem a este livro.

A intenção de Engstrom ao abordar esta questão prende-se com a “visão menor” que a generalidade das pessoas tem acerca do seu propósito de vida, e a mudança de atitude requerida para que cada um de nós atinja o seu verdadeiro potencial, superando-se e transcendendo-se, indo muito além da mediocridade.
Ele começa por contar a história da águia, que foi criada numa capoeira aprendendo os hábitos das galinhas, não sabendo sequer voar. Ao se deparar com uma majestosa águia a sobrevoar os céus, ter-lhe-ão dito que nunca seria como ela, esquecendo essa possibilidade e acabando por morrer pensando ser uma galinha do campo. A quantas pessoas, por vezes em idade precoce, lhes é prescrito tão injusto destino? Lhes é cortada cerce a ambição de voar alto, usar na plenitude os seus dons e capacidades?
Foi para inverter essas curtas ambições, induzidas por terceiros, ou criadas por nós próprios, que Ted Engstrom se predispôs a dedicar um cuidado especial a este assunto, descrevendo neste pequeno livro conceitos básicos para mudar o paradigma da resignação. Da primeira à última página o autor insta-nos a agir, mudar de atitude, encontrar propósito nas nossas ações, determinados em atingir a excelência. Como refere John Garden no seu livro “Excellence”, “Toda a excelência envolve disciplina e tenacidade de propósito”.
O livro centra-se na adoção de uma nova atitude, em melhorarmos as nossas competências, estabelecer metas, e em última instância prosseguir focados até ao alvo. O psiquiatra Ari Kiev, da Universidade de Cornell, no seu pequeno livro “Strategy for Daily Living”, recomenda: “Definir objetivos pessoais, e persistir até os atingir é a chave do sucesso. A determinação para se manter na sua busca é o que vai trazer a qualidade de excelência. (…) A maior satisfação vem de perseguir (o objetivo) até chegar ao alvo, não apenas atingi-lo”.
No entanto, Engstrom alerta para o perigo de se cingir o nosso interesse num único propósito, perseguir um só objetivo sem diversificar interesses. Priorizar os projetos que queremos ver concretizados, e assumir esse objetivo, um-a-um. Ele ilustra este ponto com o caso do nadador olímpico John Naber, que trabalhou vários anos para se apresentar na sua melhor condição nos Jogos de Montreal, em 1976, tendo conquistado 5 medalhas de ouro.  Surpreendentemente, apesar de ter atingido o seu objetivo, no regresso a casa entrou numa profunda depressão. Por falta de (novas) metas. Limitou-se a estabelecer o seu alvo, mas apenas isso.
O autor dedica amplo espaço a dissecar as “doenças de atitude” – Indiferença, Indecisão, Dúvida, Preocupação e Precaução em Excesso; fornecendo também sugestões para a “cura” dessas enfermidades, e a mais temida de todas, que ele apelida de status quo, e que traduz do latim como “o caos em que está a nossa vida”.
Ted Engstrom usa uma hábil comunicação para nos instruir quanto ao potencial escondido em cada um, apelando à iniciativa própria para soltarmos os dons divinos e expormos as nossas qualidades e talentos ao serviço dos outros e do bem comum. Ensina-nos como devemos sair da mediania em que a sociedade se tem acomodado, criando impacto nesta geração e perpetuando um legado para as gerações futuras. Viver acima da média. Para isso compele-nos a que adotemos um conjunto de qualidades que ajudarão nesse processo: disciplina pessoal, visão, optimismo, aventureirismo, coragem, humildade, humor, confiança, raiva (no bom sentido – ex: contra a injustiça e o desperdício), paciência e integridade.