Escolha do Editor

TÍTULO

QUERIDO FIM-DE-SEMANA

AUTOR

MARIA DE LURDES SOARES & RAQUEL PINHEIRO (ILUSTRAÇÕES)

É a partir do olhar de uma criança que Maria de Lourdes Soares nos convida a refletir sobre o Tempo e como este pode ser desfrutado em Família. Após a caraterização de cada dia da semana, a obra dá destaque ao “Querido fim de semana”.

OS AFETOS são parte integrante e fundamental do que podem ser as vivências do fim de semana em família. Este livro é feliz, não só pelo texto, mas também pela ilustração de Raquel Pinheiro, quando nos convida a mergulhar e a ler a “voz” desta criança que nos revela:

“Foi na cama dos meus pais,
ao fim de semana,
que ouvi as histórias mais ternas e divertidas
de quando era bebé;
e também conheci espantosos contos
de quando os pais ainda eram pequenos,
em África.
No fim de semana
Parece que a memória do tempo pára,
só para sermos felizes.”[…]
“Aos fins de semana,
não há pressa na minha casa.”[…]
“Há fins de semana
em que que o Tempo fica criança e tão amigo,
que adivinha os meus desejos
e vem ajudar a realizá-los”[…]
“eu queria que todas as pessoas
sentissem, pelo menos, um cheirinho
das tardes de Sábado
ou manhãs de Domingo,
pedacinhos doces do Tempo.”

Maria de Lourdes Soares aborda, de uma forma perspicaz, o fim de semana em contraposição aos restantes dias, uma vez que é apresentada a realidade concreta do dia-a-dia das famílias com crianças. Durante estes dias, o tempo dedicado aos mais pequenos e à família é habitualmente limitado, escasso e as crianças apercebem-se de que:

“O tempo deles [pais] está tão cheio,
que parecem pessoas diferentes:
as caras ficam mais sérias,
o andar mais apressado,
a roupa mais cuidada.
O tempo dos banhos é mais curto,
As refeições são mais rápidas
e fala-se menos.”

Nesta obra, a realidade familiar não se esgota na família nuclear, mas inclui os tios, os primos e também nos mostra o papel fundamental dos avós quando expõe:

“Os avós têm sempre tempo.
E não se cansam
de responder às minhas perguntas.
E quando me deixam dar dois ou três saltos
em cima da cama,
acho-os muito especiais!”

Em “Querido fim de semana” é-nos revelada a capacidade que as crianças têm de sonhar e de continuar a acreditar que o carácter cíclico do tempo é sinal de Esperança para a concretização das suas aspirações:

“Nos dias com Feira [dias da semana]
os pais são muito difíceis de entender…
Mas como eles dizem que tudo que fazem
é para o meu bem, eu acredito!
E todos os dias,
conto os dias que faltam
para chegarmos ao encontro já marcado,
no próximo Fim de Semana…
onde todos seremos, outra vez, NÓS.”  


POR AGOSTINHO FARIA, USADO COM PERMISSÃO. PUBLICADO EM WWW.IMISSIO.NET, EXCERTOS EXTRAÍDOS DE QUERIDO FIM DE SEMANA, DE M. LURDES SOARES E RAQUEL PINHEIRO (ILUSTRAÇÕES), PUBLICADO POR PAULINAS EDITORA, LISBOA